Campo Grande / MS Segunda-feira, 27 de Setembro de 2021

Escolha sua cidade

Campo Grande Água Clara Alcinópolis Amambai Anastácio Anaurilândia Angélica Antônio João Aparecida do Taboado Aquidauana Aral Moreira Bandeirantes Bataguassu Batayporã Bela Vista Bodoquena Bonito Brasilândia Caarapó Camapuã Caracol Cassilândia Chapadão do Sul Corguinho Coronel Sapucaia Corumbá Costa Rica Coxim Deodápolis Dois Irmão do Buriti Douradina Dourados Eldorado Fátima do Sul Figueirão Glória de Dourados Guia Lopes da Laguna Iguatemi Inocência Itaporã Itaquiraí Ivinhema Japorã Jaraguari Jardim Jateí Juti Ladário Laguna Carapã Maracaju Miranda Mundo Novo Naviraí Nioaque Nova Alvorada do Sul Nova Andradina Novo Horizonte do Sul Paraíso das Águas Paranaíba Paranhos Pedro Gomes Ponta Porã Porto Murtinho Ribas do Rio Pardo Rio Brilhante Rio Negro Rio Verde de Mato Grosso Rochedo Santa Rita do Pardo São Gabriel do Oeste Selvíria Sete Quedas Sidrolândia Sonora Tacuru Taquarussu Terenos Três Lagoas Vicentina

Notícias / Saúde

05.11.2019 às 09:03 - Atualizada em 07.11.2019 às 09:49

Casos de dengue continuam caindo, mas cuidados devem ser mantidos

Redação

Pelo terceiro mês consecutivo, houve redução significativa nas notificações de dengue no município de Campo Grande, conforme dados do Serviço de Vigilância Epidemiológica (SVE) da Secretaria Municipal de Saúde (SESAU). Apesar do saldo positivo, reflexo das ações que vem sendo executadas pelo município desde agosto, é preciso redobrar os cuidados, principalmente neste período que antecede o verão, estação marcada por forte calor e chuvas passageiras.
 

Neste ano, o município de Campo Grande registrou uma das maiores epidemias de dengue da história. Somente no mês de março, onde ocorreu o pico da doença, foram mais de 9,7 casos notificados. Nos últimos três meses (agosto, setembro e outubro), foram 163, 143 e 120 notificações, respectivamente.
 

De janeiro até agora foram 38 mil casos notificados, sendo pouco mais de 16 mil confirmados e oito óbitos, de acordo com demostrativo abaixo. No mesmo período foram registrados 427 casos de zika e 228 de chikungunya.

 

Estratégias
 

Desde agosto as ações vem sendo intensificadas, principalmente nos bairros com maiores índices de proliferação do mosquito Aedes aegypti,  para evitar futuras epidemias.
 

Recentemente a região do bairro Lageado recebeu mais uma edição do projeto Cidade Limpa onde, na ocasião, foram recolhidas mais de 10 toneladas de materiais inservíveis de grande volume potenciais criadouros do mosquito.
 

Na última semana, os agentes estiveram percorrendo os cemitérios da Capital fazendo a orientação dos presentes e recolhimento de materiais inservíveis.


Comentários
informe o texto a ser procurado
Voltar ao topo